Câncer colorretal - ClinicaFares

Câncer colorretal

7 de fevereiro de 2017

Prevenindo o câncer colorretal

Tocar nesse assunto sempre causa um desconforto nas pessoas, mas iremos comentar sobre um tipo de câncer que é altamente prevenível. Estima-se que o câncer colorretal (CCR) acometerá pouco mais de 34 mil brasileiros neste ano de 2017, por isso a relevância desse assunto.
O CCR, em sua forma mais comum (Adenocarcinoma), origina-se na grande maioria das vezes de um pólipo intestinal. A notícia boa é que esses pólipos são facilmente removidos através de um procedimento chamado polipectomia, durante a realização da colonoscopia.
colonO tipo, tamanho, quantidade e tempo de evolução dos pólipos predispõe ou não ao aparecimento do câncer. Pólipos maiores que 1,0 cm, múltiplos, com mais de 10 anos de formação e do tipo adenoma são os com maiores riscos.
Sintomas como alteração do hábito intestinal, mudança nas características das fezes (Ex: Fezes afiladas), emagrecimento e, principalmente, sangue nas fezes nos alerta sobre a possibilidade de estarmos com a doença.
A frequência desse tipo de câncer no nosso meio é alta… sendo assim o Ministério da Saúde recomenda para todos a realização do exame de Colonoscopia, aos 50 anos de idade, independente de presença de sintomas, como forma de rastrear a doença.
A colonoscopia é o melhor exame para detecção do CCR, pois permite visualizar o tumor, realizar biópsias e polipectomia. Esta última reduz em até 90% o risco de CCR.
exames_colonEntre os principais fatores de riscos estão: idade (mais de 90% dos CCR ocorrem após os 50 anos), história familiar e pessoal de pólipos e/ou câncer colorretal, baixa ingesta de fibras, alta ingesta de gorduras e carne vermelha, obesidade, algumas síndromes polipóides genéticas e algumas colites.
O tratamento do CCR é cirúrgico podendo ser por via endoscópica, se diagnosticado bem no início, ou por cirurgia convencional se o diagnóstico for em estágios mais avançados.
Diante de tudo isso, o recado principal que fica é “Sempre melhor prevenir do que remediar”…dessa forma aconselho a todos com mais de 50 anos a realizar sua Colonoscopia de rastreio, porque se aparecer lesões predisponentes estas serão eliminadas através da polipectomia. Se nesse exame de rastreio não for identificado critérios de risco, uma nova colonoscopia só será solicitada (para rastreio de CCR) após um longo período de tempo (até 10 anos).

tulio
Texto por : Dr. Túlio Medeiros – Coordenador médico da Endoscopia – Clinica Fares (Santo Amaro/ Osasco) – CRM:132218

 

Posted in proctologia by Clinicafares
Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE