Bruxismo, o que é? Conheça os principais sintomas

Bruxismo, o que é?

4 de setembro de 2017

O bruxismo é uma condição muito mais comum do que imaginamos. Segundo a Organização Mundial de Saúde, aproximadamente 30% da população do mundo são acometidas, independente da idade.

Essa patologia é caracterizada pelo hábito de ranger ou apertar muito os dentes várias vezes durante o dia ou noite sem que o indivíduo perceba, acontecendo de forma voluntária ou não. A doença atinge crianças, adultos e pode ter uma variedade de causas, sintomas e consequências.

Diversos autores e médicos dividem o bruxismo como fisiológico e patológico.

O bruxismo fisiológico acomete crianças de até seis anos de idade e, nesses casos, elas apresentam movimento de lateralidade da mandíbula, rangem os dentes como uma necessidade fisiológica de desgaste dos caninos para acomodá-los e prepará-los para a troca da dentição.

Já o bruxismo patológico atinge tanto crianças quanto os adultos, causando o desgaste dental e, consequentemente, danificando os dentes e restaurações dentárias, além de deixar as gengivas feridas e causar dores nos músculos, rosto, mandíbula e cabeça. O bruxismo também causa cansaço diurno por conta das noites mal dormidas, zumbido ou dor no ouvido, sensação de ouvido tampado, diminuição e sensibilidade auditiva ou dificuldades no entendimento de alguns sons mais graves ou agudos, tontura, atordoamento, vertigem, sensações de desmaio, podendo levar a queda sem motivo aparente (sintomas semelhantes aos da labirintite), fotofobia (aversão a luz), dores nos olhos, vista embaçada, pálpebra tremendo com dores, estalos no pescoço, ombros, braços, peito, dor embaixo dos seios, dor na nuca, estalo ou clique quando mexe a Articulação Temporo-Mandibular (ATM).

Entre as diversas causas do bruxismo, podemos destacar:

• Alterações respiratórias, como apneia do sono, obstrução nasal e ronco;
• Alterações oclusais, quando por algum motivo a oclusão dentária não ocorre adequadamente (mordida alterada, próteses dentárias, implantes mal adaptados, dentes desalinhados entre outros);
• Alterações sistêmicas, como desnutrição, autismo e síndromes;
• Alterações emocionais, tais como stress, ansiedade, depressão, angústia, hiperatividade, divórcio na família entre outros;
• Alteração de hábitos alimentares em crianças que não mastigam alimentos sólidos ou consistentes e acabam suprindo a necessidade mastigatória através do bruxismo;
• Reação medicamentosa;
• Hereditariedade.

Existem várias formas de se tratar do bruxismo, que variam de acordo com cada causa, alteração e as sequelas já geradas. Pode ser necessário o uso de bandagens elásticas, eletroestimulação aplicadas na terapia fonoaudiolgica, em conjunto com exercícios musculares para adequação de musculatura, redução da tensão muscular e dor, plaquinha de acrílico ou silicone, botox, medicações etc.

Independente da causa do bruxismo e das alterações trazidas por ele, o fonoaudiólogo é um profissional muito importante no tratamento e na reabilitação, pois é uma doença que acarreta em desgaste muscular e piora das funções de mastigação e fala.

Cabe ao fonoaudiólogo tratar o paciente, em parceria com todos os outros profissionais, para uma recuperação plena e satisfatória.

Algumas ações podem ser feitas para ajudar nesse processo:

• Para as crianças: estimular alimentos fibrosos e em pedaços desde pequenos, para que possam desenvolver uma mastigação vigorosa, eficiente, além de ter cuidados com hábitos prolongados de chupeta e mamadeira, pois alteram a mordida da criança e podem criar interferências dentais e alterações musculares e ósseas;

• Controlar o ambiente de dormir, evitando agitação uma hora antes e, no quarto, minimizar luzes, barulhos, televisão, celular e computador;

• Praticar atividades físicas;

• Ter momentos para relaxar, meditar e se acalmar;

• Tentar reduzir o stress do dia a dia (tanto para a criança, quanto para o adulto). Lembrar que a criança precisa de horário vago para brincar e o adulto precisa de um horário livre para lazer e descanso;

• Evitar o hábito de mascar chicletes, morder lápis, canetas, roer unhas e morder bochechas ou lábios.

A identificação da causa do bruxismo é bastante delicada, pois é multifatorial e envolve diversos profissionais. A equipe envolvida é composta por médico bucomaxilofacial, fonoaudiólogo, otorrinolaringologista, psicólogo, psiquiatra e odontologista, independentemente da idade.

O tratamento não é padrão, levando em conta as particularidades de cada paciente e suas necessidades individuais.

 

 

 

Vivian Pardini Landulfo
Fonoaudióloga
CRFA 13.186

Posted in fonoaudiologia, sem categoria by Clinicafares | Tags:
Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE