O que é a febre amarela?

Febre amarela: recomendações e vacinação

22 de novembro de 2017

A doença que é infecciosa febril de causa viral é transmitida por meio de mosquitos que tem dois ciclos de transmissão, o silvestre (FAS) e o urbano (FAU).

Na mata (silvestre) os mosquitos gêneros Haemagogus e Sabethes são os que proliferam o vírus ao acometer os macacos (eles agem como hospedeiros do vírus) ou atacam seres humanos não vacinados que adentram seus habitat naturais, que normalmente, são áreas de matas.

Na cidade (urbano) a doença é transmitida pelo mesmo mosquito que transmite a dengue, o Aedes Aegypti; vive em locais que apresentam água parada.

Apesar disso, o vírus é o mesmo e desde 1942 não se tem registro de casos de febre amarela urbana no Brasil.

Estudos apontam que as épocas que mais têm ocorrências da doença são entre dezembro e maio. Nestes meses de maior incidência de chuvas, há aumento de mosquitos que favorece a circulação do vírus.

Apenas entre dezembro e agosto de 2017 , segundo o Ministério da Saúde, foram registrados 777 casos e 261 mortes recorrentes a febre amarela.

Quais os sinais de febre amarela:

O diagnóstico da doença pode ser realizado através da identificação de seus sintomas que podem ser confundidos até com uma gripe:

Fase inicial
• febre com calafrios
• mal-estar
• dor de cabeça
• dores musculares fortes
• cansaço
• vômito
• diarreia
• perda de apetite

Fase grave
• coloração amarela da pele
• hemorragias

Não existe um remédio próprio para tratamento da febre amarela, então o médico receita o melhor tratamento de acordo com a necessidade do paciente.

Desta forma, é recomendado o repouso e evitar sair de casa. Além de se manter hidratado, bebendo muita água.

Lembrando que a febre amarela não é contagiosa e é transmitida apenas por meio da picada dos mosquitos infectados pelo vírus.

O período de contágio é entre 24h e 48h antes do surgimento dos sintomas e, em média, o vírus fica no corpo de 3 ou 5 dias. E seu diagnóstico pode ser realizado através de exames de sangue ou tecido e por sorologia.
Vacinação

O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece de forma gratuita a vacina contra a doença por meio do Calendário Nacional de Vacinação, nos Postos de Saúdes, vale ficar atento aos comunicados das secretarias de saúdes municipais. A vacina é segura e protege durante 10 anos.

Contudo, não é recomendado para gestantes, mulheres em período de amamentação (bebês menores de seis meses), bebês com menos de seis meses, pessoas em tratamento de câncer ou Aids, pessoas com doenças autoimunes e que tem alergia a ovo, devem ser avaliadas pelo médico.

Idosos acima de 60 devem apenas se vacinar, caso resida em ambientes que tenham áreas com transmissão ativa da doença e que não tiveram contra indicação. Além disso, uma vacinação é o suficiente para toda a vida.

Fayad Hassan Fayad Khodr

Pediatra

CRM 169936

Posted in pediatria by Clinicafares | Tags: , , , ,
Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE