Alergia alimentar: tratamento, sintomas e diagnóstico

Alergia alimentar: tratamento, sintomas e diagnóstico

5 de dezembro de 2017

Comer é algo natural. O ser humano precisa do alimento para sobreviver e isto pode ser bem agradável.  Saborear um bom prato é  prazeroso, no entanto, nem sempre a alimentação é tão simples quanto parece. Para cerca de 5% da população comer pode ser um verdadeiro desafio, por causa de um problema chamado “alergia alimentar”.

É mais comum em crianças do que adultos, mas pode se manifestar em qualquer época da vida. Os alimentos que mais causam alergia são: leite de vaca, ovo, frutos do mar, amendoim e trigo.

Como diferenciar alergia de intolerância alimentar

Na alergia alimentar o organismo estimula o sistema imunológico de forma exagerada quando entra em contato com  determinada substância presente no alimento, produzindo, então, uma série de sintomas generalizados pelo corpo. Estes sintomas na maioria das vezes são imediatos, nas primeiras horas apos a ingestão do alimento causador.

na intolerância alimentar, que é bem mais comum do que a alergia, o organismo tem dificuldade de digerir determinadas substâncias, causando sintomas específicos, principalmente no sistema gastrointestinal.

A intolerância alimentar não costuma colocar a vida das pessoas em risco, já a alergia sim. Um exemplo comum de intolerância é a lactose. Ela é o açúcar do leite e dificilmente causa alergia com sintomas generalizados e graves, mas pode causar intolerância através da dificuldade em digeri-la, com isto os sintomas gastrintestinais como dor na barriga, vômitos e náuseas podem surgir.

Na alergia alimentar uma quantidade mínima do alimento pode causar fortes reações, já na intolerância o paciente costuma tolerar bem pequenas quantidades do alimento.

Sinais e sintomas

Os sintomas de alergia alimentar podem variar desde uma leve coceira na boca ou garganta até reações graves como as anafiláticas. A seguir alguns dos possíveis sintomas:

  • Coceira e vermelhidão na pele;
  • Coriza e nariz entupido;
  • Inchaço no rosto;
  • Placas avermelhadas na pele;
  • Dificuldade de respirar;
  • Desconforto na garganta;
  • Diarreia ou prisão de ventre;
  • Dor abdominal;
  • Náuseas ou vômito;
  • Irritação nos lábios, língua ou garganta;
  • Tonturas ou desmaios;
  • Descamação ou bolhas.

Diagnóstico

O primeiro passo para o diagnóstico em alergia alimentar é uma consulta médica detalhada. A partir dos dados informados pelo paciente o médico fará a hipótese de quais alimentos podem estar implicados na reação e a partir daí testes alérgicos na pele ou dosagens específicas de anticorpos no sangue podem ser realizados a fim de confirmar se o alimento suspeito pode mesmo ou não ser causador dos sintomas.

Lembrando que testes alérgicos isolados não fazem diagnóstico de alergia alimentar. É necessário que o paciente tenha sintomas compatíveis com alergia e o teste ou exame positivo.

Tratamento da alergia alimentar

As crises de alergia alimentar são tratadas de acordo com a intensidade dos sintomas. Podem ser usados medicamentos anti-histamínicos e/ou corticoides nas reações leves ou moderadas e nos casos graves como nas reações anafiláticas a medicação adrenalina deve ser aplicada.

A avaliação do médico é fundamental para verificar os possíveis sinais de gravidade de cada reação. O tratamento preventivo mais efetivo é a exclusão do alimento causador da alergia. Lembrando que a exclusão dos alimentos não deve ser feita de forma aleatória, mas  após o diagnóstico de alergia já confirmado.

Ana Priscia Fernandes de Castro Medeiros

Alergista

CRM 126799

 

Posted in alergologia by Clinicafares | Tags: , , ,
Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE