Hiperêmese gravídica: Náuseas e vômitos da gestação - Clinica Fares

Hiperêmese gravídica: Náuseas e vômitos da gestação

18 de dezembro de 2017

O que são?

Náuseas e vômitos são tão frequentes no início da gravidez que muitas vezes são utilizados como símbolos que expressam a gestação.

Ocorrem principalmente no primeiro trimestre, sendo prevalente em mais de três quartos de todas as gestantes, o que significa aproximadamente 3 milhões de brasileiras anualmente.

Em cerca de um terço das vezes, o quadro clínico é tão intenso que chega a afetar o trabalho e a vida social da gestante.

Normalmente, o também chamado “mal-estar matinal”, caracterizado por náuseas, vômitos, indisposição matinal e sialorréia (salivação), começa entre a primeira e a segunda semana de atraso menstrual e pode durar até o fim do terceiro mês de gravidez. No entanto, cerca de 20% das mulheres sentem náuseas e vômitos por um longo período de tempo e 2% desse grupo sofrem até o final da gravidez.

O que é hiperêmese gravídica?

Um número pequeno, que varia de 0,3 a 3% de todas as mulheres grávidas, experimenta uma forma mais grave da doença, que é a hiperêmese gravídica (HG), também conhecida como “vômitos perniciosos da gravidez”. A HG é caracterizada por náuseas e vômitos prolongados e frequentes, que ocasionam desidratação, distúrbio eletrolítico (perda de sais minerais) e diminuição de peso. A gestante não percebe melhora no quadro nem mesmo com uso de medicamentos regulares para náuseas (antieméticos). Por vezes, essas gestantes necessitam de internação hospitalar.

Por que?

A elevação dos níveis sanguíneos de β-hCG, hormônio produzido pela placenta, que ocorre no primeiro trimestre, coincide com o aumento da prevalência de náuseas e vômitos nessa mesma época. Assim sendo, quanto maior o nível desse hormônio na circulação, maiores são as chances de ocorrerem náuseas e vômitos.

Porém, para alguns pesquisadores, o fator psicológico é o principal motivo, podendo ser uma resposta a uma gravidez indesejada, até mesmo de forma inconsciente, ou à imaturidade da gestante diante da responsabilidade do estado maternal.

Outros fatores causadores de náuseas e vômitos não relacionados com a gestação devem ser afastados: uso de alguns medicamentos, tumores, distúrbios vestibulares (labirintite) e doenças gastrointestinais (gastrite).

Como evitar?

• Gengibre: inibe os receptores da serotonina e exerce efeitos antiemético.
• Beber pequenas quantidades de líquidos, várias vezes ao dia, principalmente água e sucos de frutas.
• Dieta fracionada: ingerir pequenas quantidades de alimentos com mais frequência (cada 2 ou 3 horas), em vez de grandes refeições.
• Evitar ficar com o estômago vazio: fazer lanches ligeiros entre as refeições.
• Ao acordar, comer um biscoito seco do tipo água e sal, antes de sair da cama.
• Evitar alimentos gordurosos, condimentados ou picantes.
• Evitar alimentos cujo odor incomode a grávida.
• Aproveitar ao máximo o melhor tempo do dia, ou seja, comer quando se sentir melhor ou sempre que sentir fome.
• Deitar-se quando estiver enjoada.
• Acupuntura
• Psicoterapia de apoio.

A gestante deverá procurar atendimento médico se não apresentar melhora com as orientações e medicamentos prescritos.

Janine Hanriot Bloomfield

Especialista em ginecologia e  Membro do Corpo Clínico da Clínica Fares

CRM 119331

Posted in ginecologia by Clinicafares | Tags: ,
Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE