fisioterapia - Clinica Fares

Entendendo a doença de Parkinson

4 de abril de 2018

Parkinson é uma doença neurodegenerativa que afeta milhares de brasileiros, atingindo todas as classes socioeconômicas, com discreta predominância no sexo masculino. A incidência aumenta com a idade, sendo mais comum em indivíduos acima de 60 anos. O diagnóstico é clínico e os sintomas variam de pessoa para pessoa. A doença é lenta e progressiva. Geralmente, problemas motores como a lentificação de movimentos e os tremores no repouso são percebidos no início do quadro. Rigidez e desequilíbrios também podem ser observados. A fala vai ficando mais baixa, a face menos expressiva. A letra pode mudar de tamanho e tornar-se pequena. O paciente começa a não sentir o cheiro dos alimentos e ter alterações nos hábitos intestinais, ficando com o intestino preso. E a depressão acomete muitos pacientes. Outros sintomas, como tonturas, distúrbios no sono e dificuldades para deglutir são vistos no curso da doença. Nos estágios finais a doença de Parkinson pode levar a demência. É causada devido a morte de células cerebrais que produzem um neurotransmissor chamado dopamina (substância química que ajuda na transmissão de mensagens entre as células nervosas), que possui como uma de suas funções o controle dos movimentos. Aproximadamente, 15 e 20% dos pacientes com doença de Parkinson têm parentes que aprese

28 de julho de 2017

A condromalácia patelar (CP) é definida como o amolecimento da cartilagem da patela (rótula) e conhecida popularmente como “dor anterior de joelho”. A patela é um osso que se localiza na parte anterior do joelho, que geralmente tem um formato triangular, sendo estabilizado por tendões, ligamentos e músculo. Com uma incidência de 40% na população mundial, a condromalácia patelar apresenta a prevalência em mulheres jovens. Este fato ocorre devido ao eixo quadril e joelho, que no caso das mulheres possuem uma base mais alargada do quadril proporcionado um joelho em “x” ou “joelho para dentro” Os principais sintomas são: dor, dor durante atividade física, estalidos na articulação (crepitação), inchaço abaixo da patela (edema). Outro ponto importante a se destacar é que a CP pode ocorrer em diferentes graus, sendo grau 1 (amolecimento da cartilagem) até graus mais avançados, onde ocorre uma fissura da cartilagem. Ela se dá por inúmeros motivos, mas o mais comum é o aumento da pressão na cartilagem da patela, durante a prática esportiva, criando uma fricção local, promovendo assim o desgaste desta cartilagem. A condromalácia patelar é comumente encontrada em pacientes que permanecem sentados por longos períodos, subir e descer escadas, praticantes de caminhadas, corridas e musculação. O diagnóstico da CP pode ser realizado através de

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE