ginecologia - Clinica Fares

O que são DST | Doenças Sexualmente Transmissíveis

27 de fevereiro de 2018

As doenças sexualmente transmissíveis (DST) é um dos problemas de saúde pública mais populares no mundo.

É uma doença transmitida, na maioria das vezes, de uma pessoa para outra pessoa ao ter relações sexuais sem proteção com um parceiro já infectado.

As DST podem ser graves e evitáveis, além de aumentarem o risco de contrair HIV (vírus da imunodeficiência humana) que pode gerar AIDS (síndrome da imunodeficiência adquirida).

Nenhum grupo está imune, independente de raça, sexo ou situação financeira.

As doenças podem se manifestar através de bolhas, verrugas, corrimentos e feridas.

No entanto, algumas DST não apresentam sintomas, sendo assim, a procura pelos serviços de saúde após relações sexuais sem preservativos é de extrema importância.

A infecção também pode acontecer por meio de compartilhamento de agulhas, seringas, drogas injetáveis e transfusão de sangue contaminado.

Além disso, bebês podem nascer com a doença, através do c

29 de janeiro de 2018

O MonaLisa Touch (laser vaginal) é o tratamento para rejuvenescimento vaginal que age de modo a aliviar os efeitos que a atrofia vaginal causa em algumas mulheres, como o ressecamento na região genital. A atrofia se desenvolve lentamente, de modo que pode demorar de 5 a 10 anos para a mulher perceber os sintomas, que tendem a piorar com o tempo. Ela acontece em decorrência da redução ou ausência do estrogênio (hormônio produzido pelos ovários) após a falência ovariana causada pela menopausa, ou após cirurgias com retirada dos ovários. Com a falta do estrogênio os tecidos vaginais vão perdendo a lubrificação, tornando-se assim finos, secos, retraídos e atrofiados, também conhecido como vagina ressecada. Isto leva a sintomas como sensação de queimação, coceira, dor na relação sexual, secura vaginal e até incontinência urinária. MonaLisa Touch age por meio da aplicação de laser na região vaginal, reativando o metabolismo das células atrofiadas, estimulando assim reestruturação e restauração do tecido no local. Segundo o fabricante, ele consegue recuperar a elasticidade, a espessura e a umidade da vagina ao estimular a produção de colágeno. O tratamento MonaLisa Touch é

Posted in ginecologia by Clinicafares | Tags: , , ,
4 de janeiro de 2018

O que é o Estudo Urodinâmico?

É um exame que possibilita identificar problemas relacionados à micção, como: retenção urinária (dificuldade de urinar), incontinência urinária (perda de urina), urgência miccional (ao sentir vontade de urinar e não aguentar chegar até o banheiro), além de ser um exame pré-operatório para correções de distopia genitais (queda do útero, a famosa “bexiga arriada”ou “bexiga baixa”), pois pode identificar incontinência urinária oculta, que é a perda de urina que iria aparecer após a cirurgia e poderia ser identificado com a urodinâmica, para ser corrigido o problema no mesmo ato cirúrgico.

Qual médico realiza o exame?

Normalmente, Urologistas e Uroginecologistas.

Como é realizado?

É necessário introdução de duas pequenas sondas na uretra (canal por onde sai a urina). Por uma das sondas é introduzido soro fisiológico para encher a bexiga, enquanto a segunda sonda analisa no computador o comportamento da bexiga durante o enchimento e esvaziamento. Além disso, é realizado a introduçã

Posted in ginecologia, urologia by Clinicafares | Tags: , ,
18 de dezembro de 2017

O que são?

Náuseas e vômitos são tão frequentes no início da gravidez que muitas vezes são utilizados como símbolos que expressam a gestação. Ocorrem principalmente no primeiro trimestre, sendo prevalente em mais de três quartos de todas as gestantes, o que significa aproximadamente 3 milhões de brasileiras anualmente. Em cerca de um terço das vezes, o quadro clínico é tão intenso que chega a afetar o trabalho e a vida social da gestante. Normalmente, o também chamado “mal-estar matinal”, caracterizado por náuseas, vômitos, indisposição matinal e sialorréia (salivação), começa entre a primeira e a segunda semana de atraso menstrual e pode durar até o fim do terceiro mês de gravidez. No entanto, cerca de 20% das mulheres sentem náuseas e vômitos por um longo período de tempo e 2% desse grupo sofrem até o final da gravidez.

O que é hiperêmese gravídica?

Um número pequeno, que varia de 0,3 a 3% de todas as mulheres grávidas, experimenta uma forma mais grave da doença, que é a hiperêmese gravídica (HG), também conhecida como “vômitos perniciosos da gravidez”. A HG é caracterizada por náuseas e vômitos prolongados e frequentes, que ocasionam desidratação, distúrbio eletrolítico (perda de sais minerais) e diminuição de peso. A gestante não percebe melhora no quadro nem mesmo com uso de medi

Posted in ginecologia by Clinicafares | Tags: ,
4 de dezembro de 2017

A candidíase é causada por um fungo chamado Cândida, provocando infecções vaginais que são bem comuns na gravidez. Os sintomas mais recorrentes são uma secreção vaginal densa, branca e grumosa; coceira, ardor ou vermelhidão na região da vagina e do ânus; dor nas relações sexuais e ardência ao urinar. Não use nenhum medicamento no local sem antes ter falado com o ginecologista/obstetra. Se a candidíase for identificada durante a gravidez, seu médico receitará algum tratamento adequado para seu estágio de gravidez, o que amenizará a coceira e a irritação na área. A infecção por cândida na mãe não prejudica o bebê, mas precisa ser tratada para evitar complicações. A infecção por cândida em recém-nascidos provoca feridinhas brancas na cavidade oral do bebê (o chamado sapinho), e o problema pode, por sua vez, ser transmitido para os seios da mãe. Para prevenir, costumo indicar o uso de calcinhas de algodão ao invés das de tecido sintético, evitando-se roupas íntimas apertadas, leggins e jeans skinny com frequência. Não faça prática de duchas vaginais e desodorantes íntimos. E claro, para qualquer circunstância, converse sempre com seu médico!

30 de outubro de 2017

Incontinência urinária é toda perda de urina, que pode acontecer em qualquer idade ou sexo; isso mesmo, qualquer idade, pois existem várias causas para essa patologia. No Brasil, a estimativa é de que 10 milhões de pessoas apresentam essa condição, porém, infelizmente, muitos pacientes tem vergonha de falar desse assunto para amigos, familiares e até para os médicos, consequentemente, convivem com o problema em silêncio e em casos graves, até isolamento social e domiciliar, pois a incontinência urinária traz prejuízo na qualidade de vida em vários aspectos. Quais são os principais tipos de incontinência?

  • Incontinência urinária de esforço: perda de urina ao espirrar, tossir, pegar peso, fazer exercícios ou qualquer esforço.
  • Incontinência por urgência: vontade súbita de urinar, que pode ou não haver vazamento de urina antes de chegar ao banheiro.
  • Incontinência urinária mista: associação de mais de um tipo de incontinência.
  • Incontinência por transbordamento: Perda de urina por gotejamento ou vazamento por permanecer com a bexiga muito cheia.
  • Incontinência funcional: perda urinária por incapacidade física ou intelectual de se deslocar até o banheiro.

Há um conceito popular de que quem tem incontinência,

5 de outubro de 2017

A doença começa quando uma célula, na grande maioria das vezes, nos ductos mamários ou das glândulas mamárias, que são os “tubos” que carregam o leite até o mamilo e as glândulas que as fabricam, passa a ter um crescimento fora de controle. Essas células passam também a ter um comportamento invasivo e agressivo. É muito mais frequente nas mulheres, mas também pode ocorrer nos homens.  Nós sabemos que existe um conjunto de fatores que envolvem uma combinação do próprio organismo da pessoa e o estilo de vida. Ingestão de álcool, sobrepeso, sedentarismo, nuliparidade (mulher que não teve gestação), não a amamentação, uso de contraceptivos orais e a terapia hormonal após a menopausa, são alguns dos fatores de risco que, hoje, a ciência definiu como certos. Muitos destes fatores de risco são possíveis mudando o estilo de vida. Existem outros que dependem  do próprio organismo, como algumas mutações genéticas, histórico na família de câncer, entre outros.

Idade de maior risco

Existe uma relação direta entre idade e desenvolvimento do câncer de mama. Quanto maior a idade, mais o risco. Sabemos que boa parte dos casos são diagnosticados em mulheres com mais de 55 anos. Por causa disso, a partir dos 40 anos, a mulher já deve ter a opção de iniciar o rastreio. Se você tem 45 ano

Posted in ginecologia by Clinicafares | Tags: , , , ,
4 de outubro de 2017

A visita ao especialista é fundamental para todas as mulheres; na prevenção de doenças, controle de natalidade e tratamento das “surpresas” que a população feminina com vida sexual ativa ou não pode ser submetida. A periodicidade das consultas, bem como dos exames, devem ser individualizadas de acordo com cada caso e respectiva idade:

Pré-Adolescentes ou adolescentes

A puberdade nas meninas pode iniciar entre os oito e os 14 anos; é uma fase de intensas mudanças físicas e psicológicas. As consultas nessa idade servem para aconselhamento quanto às mudanças que ocorrerão no corpo, orientações em relação à higiene íntima, tratamento/controle de alguns sinais e sintomas que se iniciam com as alterações hormonais intensas, como acne, cólica, irregularidade menstrual, irritabilidade, transpiração excessiva e odor corporal. São recomendadas consultas anuais com ênfase em acompanhamento do desenvolvimento.

Adultas

A idade adulta começa com 18 e termina aos 60 anos. Pode ser subdividida entre adultas jovens (18-21 anos), adultas (21-45 anos) e meia idade (45-60 anos). É a fase da vida que boa parte das mulheres tem relação sexual e os cuidados mudam. Corrimentos, contracepção, alterações menstruais, doenças sexualmente transmissíveis, gravidez e início dos sintomas da menopausa são as princip

Posted in ginecologia by Clinicafares | Tags: , , ,
15 de setembro de 2017

O termo médico para a conhecida “bexiga caída, bexiga baixa, bola na vagina, útero arriado ou útero baixo” é distopia ou prolapso genital, que é a queda pelo canal vaginal de qualquer órgão pélvico, como bexiga, uretra, útero, intestino e/ou reto. Mas por que isso acontece? Isto ocorre após um enfraquecimento dos músculos e ligamentos que formam o assoalho (ou pavimento) pélvico. Esse assoalho é responsável por sustentar os órgãos dentro da pelve, porém, quando há uma fragilidade, os órgãos se insinuam (“caem”) pelo canal vaginal, aparecendo às famosas “bola na vagina”. Essa fragilidade pode acontecer dependendo da idade da paciente, do número de partos vaginais, tamanho e peso do recém-nascido, número de gravidez, história de obesidade, menopausa, cirurgias vaginais prévias e desordens do colágeno (que tem forte ligação com a genética da paciente) Atenção! É muito importante não confundir com a incontinência urinária (perda de urina), pois são duas doenças distintas, com tratamentos diferentes e que podem ou não estar associadas. Existem distopias sem perda de urina e perdas de urina sem distopias!

Qual é o tratamento

Posted in ginecologia by Clinicafares | Tags: , ,

14 de agosto de 2017

O mioma uterino é um tumor benigno que se desenvolve dentro do útero e sua origem ainda é desconhecida, apesar de existirem inúmeras teorias sobre esse tema. Sabe-se que o estrogênio e a progesterona influenciam o seu desenvolvimento, fato comprovado com a chegada da menopausa, onde com a queda natural desses hormônios, tais tumores diminuem de tamanho ou mesmo desaparecem. Os fatores que influenciam a mulher a ter miomas estão relacionados com a idade fértil, histórico familiar, origem étnica e obesidade. OS PRINCIPAIS SINTOMAS Apesar de acometerem até 65% das mulheres, a maioria não apresenta sintoma. Nos demais casos, as principais alterações geradas por tal tumor podem ser:

  • menstruação aumentada em fluxo e quantidade de dias chegando a levar à anemia;
  • cólicas menstruais fora do período menstrual;
  • sangramento irregulares fora do período menstrual;
  • dores pélvicas, lombares e abdominais;
  • dores na relação sexual
  • distúrbios urinários como micção mais frequente, cistite, infecção dos rins.

DIAGNÓSTICO Pode ser detectado no exame de toque ginecológico de rotina, pelo aumento do volume uterino, sendo que a ultrassonografia endovaginal o exame adequado para realizar tal diagnóstico, revelando

Posted in ginecologia by Clinicafares | Tags:
Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE