otorrinolaringologia - Clinica Fares

Otites: o que saber sobre elas?

2 de maio de 2018

Febre, dores fortes no ouvido, secreção e diminuição da audição são alguns indícios da infecção chamada otite. A infecção pode surgir em até três regiões da orelha, com sintomas diferentes. Pode afetar qualquer faixa etária, porém a ocorrência na infância é mais frequente. Os sintomas variam de acordo com cada tipo de otite. No entanto, dores, diminuição de audição e febre, são sinais para os quatro tipos: Otite externa: estimulada por acúmulo de água e resíduos, por isso é preciso ter cuidado com a criançada nas praias e piscinas. Além dos traumas locais. Otite média: acúmulo de líquido no ouvido médio, atrás do tímpano, onde deveria haver apenas ar. Normalmente, acontece após períodos de gripe, sinusite ou resfriado. A otite média está ligada a secreção nas vias aéreas superiores, portanto, a prevenção contra resfriado é uma boa tática para evitar tal afecção. Otite interna: muito menos frequente que as outras causas, sua manifestação se dá na orelha interna e sintomas como zumbido e tontura podem ocorrer. Otite crônica: sua maior característica é a secreção com aspecto de muco atrás da membrana do tímpano.

Posted in otorrinolaringologia by Clinicafares | Tags: , , ,

29 de março de 2018

A Páscoa está chegando e com ela é inevitável o aumento do consumo de chocolates. Fica praticamente impossível resistir a imensa variedade de ovos de todos os tipos, tamanhos e recheios. Como sabemos, os chocolates consumidos moderadamente, apresentam benefícios a saúde, como: aumentar o colesterol bom (HDL), sensação de bem-estar, diminuir a pressão arterial e estimular tanto o cérebro e o coração devido a cafeína e teobromina. Porém, o consumo abusivo do chocolate pode causar alguns transtornos, como tontura e zumbido. Isto ocorre devido ao açúcar e a cafeína juntos, contido no chocolate. Algumas pessoas sofrem com aumento da insulina, devido ao aumento no açúcar (glicemia), que, associado com a estimulação excessiva feita pela cafeína, confundem todo o funcionamento interno do ouvido, essa alteração leva algumas pessoas a terem tonturas e zumbido. Sendo assim algumas dicas são importantes para evitar esses sintomas:

  • Evitar a ingestão ao mesmo tempo e em excesso de café, chocolate, chá preto, Coca-Cola, guaraná, gorduras, frituras, energéticos, açúcar mascavo, bebidas

20 de março de 2018

O outono chegou e algumas doenças podem surgir com maior frequência; uma delas é a rinite. A rinite é uma inflamação das mucosas do nariz e seus principais sintomas são: obstrução nasal (entupimento), coriza (nariz escorrendo), dor de cabeça, espirros e coceira no nariz – que podem afetar também a garganta e olhos. A inflamação tem dois tipos mais comuns, que são elas as rinites alergias e as não alérgicas. As alérgicas estão relacionadas ao acaro de poeira, pólen de flores, pelos de animais, perfumes, produtos de limpeza, fungos, bactérias e até alguns alimentos. Boa parte dos casos de rinite alérgica estão ligados ao acaro e, muitas vezes, são encontrados no colchão em que dormimos e nos móveis estofados de nossas casas. Já as rinites não alérgicas, estão ligadas, por exemplo, à mudança brusca do tempo, fumaça de cigarro, problemas hormonais e poluição do dia a dia, seja do meio ambiente ou do local de trabalho.

Tratamento

O tratamento para rinite depende de sua origem. Mas pode ser realizado de forma sistêmica, com ingestão de medicamentos; tópicos, medicações nasais; higiene ambiental e imunoterapia (vacinas ale

Posted in otorrinolaringologia by Clinicafares | Tags: , , ,
13 de outubro de 2017

Você pinga uma gota que dura o dia inteiro. Logo, passa a pingar o dia inteiro e não dura uma gota”, costumo dizer essa frase, pois quando o nariz entope, muitas pessoas procuram pelo descongestionante nasal para aliviar a irritação, porém seu uso constante pode causar graves danos à saúde. Os efeitos dos descongestionantes, usados por um longo período de tempo elevam os cardiovasculares. Seu uso abusivo provoca na mucosa nasal uma reação inflamatória, fazendo com que seja preciso quantidades cada vez maiores do remédio para se obtiver bem-estar. Isto é conhecido como “efeito rebote”. Assim, com o tempo será preciso cada vez mais doses para que o remédio faça efeito e isso pode provocar doenças cardiovasculares como o infarto agudo do miocárdio, acidente vascular cerebral e morte súbita. A única solução para o descongestionante nasal baseada em evidência é o uso do soro fisiológico seguida de uma visita ao otorrinolaringologista. Dr. André Freitas Cavallini da Silva Otorrinolaringologia CRM: 161147

22 de setembro de 2017

A sinusite e a rinite, geralmente coexistem e estão presentes ao mesmo tempo nos pacientes. Tanto que, hoje em dia usamos a palavra Rinossinusite para designar esses problemas. A rinite é uma inflamação da mucosa nasal que pode ser causada por alergia ou não, tem como principais sintomas a coriza, nariz entupido, coceira e espirros; pode surgir também a dor de cabeça, principalmente, na região frontal. Já a sinusite é uma infecção da mucosa nasal que pode ser causada por vírus ou bactérias. Como é uma infecção, a sinusite gera sintomas mais graves como febre, dores de cabeça de forte intensidade, catarro amarelado ou esverdeado, nariz entupido, mau hálito, tosse e dor de garganta. Há alguns sintomas que aparecem na rinite e na sinusite, isso acontece porque quem tem sinusite quase sempre tem rinite, dificilmente estas duas doenças não estão ligadas e uma pode ser consequência da outra. Sempre que você sentir esses sintomas deve-se procurar um otorrino porque apenas esse especialista está apto a diagnosticar qual o real problema. O diagnóstico é sempre clínico, ou seja, através da consulta com o otorrinolaringologista e exame médico. Em alguns casos há necessidade de exames laboratoriais, de imagem ou endoscópicos para confirmar. Não compre medicamento

11 de agosto de 2017

No verão, nada melhor do que praia e piscina, não é mesmo? O problema é quando começamos a sentir um incômodo no ouvido por ter ficado muito tempo em contato com a água. Mas por que será que isso acontece? Ele é um órgão muito sensível e tem uma proteção chamada cerume, conhecida também como cera de ouvido. Ela age como um antibiótico e quando uma grande quantidade de água retira essa proteção natural é possível ter uma Otite Externa. Essa doença é uma infecção no canal auditivo e é causada por bactérias e fungos que podem surgir quando toda a cera de proteção é retirada do ouvido. O que fazer para evitar a doença?

  • Enxugar com uma toalha macia a parte externa do ouvido após tomar banho;
  • Antes de fazer uma sequência de mergulhos em piscinas deve-se colocar um algodão com um pouco de óleo próximo ao canal auditivo;
  • Em atividades esportivas e hidroginásticas é importante o uso de aparelhos de proteção indicados pelo médico;
  • Evitar o uso de hastes flexíveis (cotonetes)
  • Procurar um médico otorrinolaringologista, especialista em doenças de ouvido, nariz, garganta etc.

  dra.Heloisa

Posted in clínica geral, otorrinolaringologia by Clinicafares | Tags:
7 de dezembro de 2016

Pelo menos 4 em cada 10 adultos normais roncam ocasionalmente e 2 roncam habitualmente. O ronco ocorre mais em homens, pessoas com sobrepeso ou obesidade e piora com a idade. O ronco é o som emitido pela vibração de partes moles nas vias aéreas (língua, céu da boca ou palato, amígdalas e a úvula ou campainha) durante a respiração. No entanto, o ronco em si, geralmente não causa problemas graves para a saúde da pessoa. Se bem que, do ponto de vista social, pode haver o problema de o ronco incomodar quem tenta dormir ao lado (isso pode prejudicar seriamente a convivência de um casal, por exemplo).   O principal problema associado ao ronco são as apneias do sono, que, basicamente, são pausas respiratórias por no mínimo 10 segundos durante o sono. Quando muito intensas e frequentes causam a Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS) caracterizada por sintomas noturnos e diurnos ocasionados pelas apneias do sono:   – Sintomas noturnos: roshutterstock_39329287nco ressuscitativo, pausas respiratórias testemunhadas, episódios de sufocação, despertares frequentes, sudorese excessiva, pesadelos, insônia e engasgos. – Sintomas diurnos: sonolência excessiva, sono não reparador, f

Posted in otorrinolaringologia by Clinicafares | Tags: , , ,
11 de abril de 2016
O outono chegou e o inverno se aproxima, apesar de ainda estarmos vivendo um clima quente, as doenças desta época já começam a aparecer e preocupar a população brasileira. Os problemas mais comuns no outono e no inverno são as doenças respiratórias. Entre as mais frequentes estão a gripe e o resfriado, que costumam ser confundidas. A gripe é causada somente pelo vírus influenza , enquanto os resfriados, por muitos outros, como o rinovírus.  Estamos vivendo uma fase de alerta na saúde em relação aos avanços de casos de gripe causada pelo vírus H1N1. Por isso, alguns cuidados devem ser tomados para preservar a saúde. Evitar a contaminação pelo vírus H1N1 é mais simples do que parece .
 h1n1Dicas:
1- Lave as mãos com freqüência; 2- Carregue um álcool gel com você; 3- Evite contato com olhos, boca e nariz sempre que encostar em locais públicos como maçanetas, corrimãos, apoios do metrô e dos ônibus; 4- evite o contato com pessoas que contraíram o v

31 de março de 2016

O ronco causashutterstock_149296487 várias situações incômodas como a cefaleia, sonolência diurna, dificuldade de concentração e até alterações cardíacas. Ele torna “vítimas” apenas aqueles obrigados a dormir com esse barulho. De acordo com a Associação Brasileira do Sono, pelo menos três em cada dez brasileiros sofrem com o problema. Um cansaço ao acordar, dor de cabeça e irritação ao longo do dia são apenas dos sinais que o distúrbio provoca. Geralmente, um ronco frequente mostra que algo não vai nada bem no organismo.  

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE