Arquivos bebê - Clinica Fares

Febre amarela: gestantes, bebês e crianças, como lidar

11 de dezembro de 2017

A febre amarela mais uma vez é motivo de preocupação na sociedade. Os números da doença são grandes e devemos estar atentos para evitar a contaminação, inclusive entre gestantes, bebês e crianças.

Gestantes

A melhor maneira de evitar a febre amarela é através da vacinação. No entanto, mamães em qualquer período de gestação, apenas, poderão tomar a vacina se moram em locais próximos de onde ocorreu a confirmação de circulação do vírus e não ter recebido contraindicação à vacina. Isso porque, acredita-se que na gravidez os casos de febre amarela sejam mais delicados. Mas a escolha da aplicação da vacina ou não será avaliada junto ao médico obstetra. Contudo, alguns cuidados para evitar a patologia podem ser tomados, como:

  • Evitar viagens para áreas de risco;
  • Se viajar ou viver em regiões afetadas consultar o médico sempre;
  • Se viajar ou viver em regiões afetadas e quer engravidar é recomendado esperar no mínimo um mês após a vacina;
  • Uso de repelente;
  • Uso de tela na janela para evitar a entrada de insetos e uso de roupas com manga longa.

Agora, entre as mães que estão amamentando, a vacina é contra indicada para bebês com menos de seis meses, caso seja impossível, como em viagens inadiáveis ou epid

Posted in pediatria by Clinicafares | Tags: , , , , ,
25 de julho de 2017

O ferro desempenha um papel muito importante: é o responsável pelo transporte do oxigênio para as células e também contribui para a formação normal dos glóbulos vermelhos e da hemoglobina, que ajudam a levar o oxigênio necessário às células do  bebê. Uma deficiência em ferro provoca cansaço, anemia, diminuição da atividade intelectual e maior suscetibilidade a infeções. Mulheres que ingerem quantidades adequadas de ferro ao longo da gravidez têm um risco menor de dar à luz a bebês com baixo peso ou prematuros, além de apresentarem taxas menores de mortalidade por hemorragia pós parto. Muitas mulheres começam a gestação já com níveis baixos de ferro no organismo e acabam não conseguindo elevar essa quantidade para suprir as necessidades do corpo somente com a comida. Diante disso, a partir dos três meses de gravidez, é recomendando a suplementação de entre 30 mg a 60 mg de ferro por dia. A menos que se tenha ou venha a ter anemia, essa quantia é geralmente suficiente. O problema dos suplementos de ferro é que eles podem irritar seu trato intestinal, provocando prisão de ventre, um sintoma comum em gestantes. Outros efeitos colaterais são náuseas e, em alguns casos, mas raramente, a  diarreia. Se você sentir esses incômodos, converse com seu médico ginecologista para dis

9 de novembro de 2016

Muitas mamães tem duvidas quando o assunto é o sono do bebê, não é mesmo? Você já deve ter ouvido ou já ter pensando em algumas dessas perguntas: “Será que o meu filho(a) está dormindo o suficiente?”, ” Acordar tantas vezes a noite é normal?”, ” Dormir tantas horas por dia é mesmo correto?”. Calma mamãe! Nós vamos te ajudar a acabar com essas “minhocas”em sua cabeça. Cada bebê é de um jeito e alguns chegam a dormir até duas horas a mais ou a menos que os outros. Por isso, não se preocupe se o filho(a) da sua amiga, colega, vizinha ou prima está dormindo uma noite inteira e o seu bebê ainda nem chegou perto disto. Para ter uma ideia geral, veja  a tabelinha abaixo com números de quantas horas de sono em média bebês e crianças pequenas precisam dormir em cada idade.

Idade Durante a noite Durante o dia Total

1 mês

Posted in pediatria by Clinicafares | Tags: , ,
21 de dezembro de 2015

Amamentar traz mais benefícios do que você imagina   Da Redação   Amamentar é um gesto de amor para com a criança e a mãe. Sem contar nos benefícios enorme para ambos! Que parar para conhecer os inúmeros benefícios que o ato pode trazer para o bebê e para você?   É importante que você, mãe, que está amamentando sua criança, que o leite é o alimento mais completo e equilibrado porque atende a todas as necessidades de nutrientes e sais minerais da criança até os 6 meses de idade.   Sem contar na facilidade de ser digerido, o que provoca menos cólicas nos bebês. Além disso, o alimento colabora para a formação do sistema imunológico da criança e, por essa razão, previne alergias, obesidade e intolerância ao glúten.   Outro dado importante é que o leite materno contém uma molécula chamada PSTI, que é responsável em proteger e reparar o intestino, que é bem delicado, dos recém-nascidos. Há estudos que mostram que o leite materno protege a criança contra várias doenças.   Agora é importante ressaltar que a amamentação aumenta o vínculo amoroso entre mãe e criança e vai promover um efeito positivo no desenvolvimento psicológico da criança.   Para as mães, amamentar seu bebê cria sensações de bem-estar, de realização e também ajuda a emagrecer, pois o ato consome até 800 calorias

Posted in dicas, ginecologia by Larissa Garcia | Tags: , , , , , ,
Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE