Arquivos endoscopia - Clinica Fares

Endoscopia: para que serve e quais seus principais tratamentos

25 de julho de 2018

A Endoscopia digestiva é uma especialidade médica que tem avançado e crescido de forma muito rápida e intensa nos últimos anos.

Isso se deve, principalmente, aos avanços tecnológicos dos aparelhos e técnicas endoscópicas permitindo cada vez mais que tenhamos acesso a áreas restritas do corpo humano por vias naturais, ou seja, sem cortes ou cirurgias.

Outro grande impulsionador e consolidador da especialidade é que além de permitir o diagnóstico da maioria das doenças do aparelho digestivo, também permite o tratamento de muitas afecções do trato gastrintestinal.

O tratamento por via endoscópica é um procedimento cirúrgico porém por vias naturais (boca ou anus), sem cortes, tendo como as principais vantagens: menor tempo de internação, recuperação mais rápida, menores danos ao paciente e menores custos hospitalares.

Entre os principais tratamentos endoscópicos, destacamos:

  1. Ligadura elástica de varizes esofágicas;
  2. Injeção de esclerosantes em varizes de esôfa

11 de abril de 2018

Este ano chegou ao Brasil uma das maiores inovações das últimas décadas dentro da especialidade da endoscopia digestiva: a máquina que permite realizar sutura (“dar pontos”) por via endoscópica. A sutura endoscópica tem a finalidade de aproximar tecidos por via endoscópica, dessa forma a técnica pode ser indicada para fechamento de fístulas, tratamento de alargamentos das cirurgias bariátricas convencionais, porém a principal indicação da sutura endoscópica é a “redução” do tamanho do estômago, deixando em formato tubular com o intuito do tratamento da obesidade. O estômago ficará com o aspecto semelhante ao da gastroplastia vertical cirúrgica. Entre as principais vantagens destacamos: procedimento por via endoscópica; sem cortes ou cirurgia; baixo índice de complicações; recuperação rápida; alta no mesmo dia do procedimento; manutenção do órgão; manutenção da anatomia do intestino não causando anemia, deficiência vitamínica e etc. Estima-se de 52% da população brasileira esteja acima do peso e que cerca de 17% estejam obesos em algum dos seus graus (leve, moderado ou severo). Além da questão

20 de fevereiro de 2018

A halitose consiste no odor desagradável que é expelido pela boca. É uma condição bem desconfortável não só para o paciente, mas também para os familiares e pessoas de seu convívio. Estima-se que até 30% da população brasileira apresentem halitose, não tendo predominância nem por sexo nem por idade. Sua principal causa é a decomposição de matéria orgânica (restos alimentares, células da boca que descamam, sangue etc) pelas bactérias da boca com consequente liberação de compostos sulfurados voláteis (CSV). Estas bactérias, normalmente, se encontram nas cáries, numa gengiva doente e, principalmente, na língua formando o que chamamos de saburra lingual. A halitose pode ser do tipo oral (mais comum – cerca de 90%), tipo via aérea e tipo gastrintestinal. Dessa forma os principais fatores associados com a halitose é a má higiene oral, gengivites, saburra lingual, pouca produção de saliva, sinusites, hábitos, como tabagismo ou alcoolismo. Entre as principais condições gastrintestinais que levam a halitose destaco o Divertículo de Zenker, Megaesôfago e o Helicobater pylori

14 de fevereiro de 2018

Recentemente, chegou ao Brasil uma nova alternativa para o tratamento da doença do refluxo gastroesofágico (DRGE). Trata-se do STRETTA, um tratamento endoscópico que acontece através do uso da tecnologia de Radiofrequência. Seu principal benefício é tratar aqueles pacientes refratários ao tratamento clínico e que não conseguem parar de tomar as medicações. O Dr. Túlio Medeiros faz parte de um seleto grupo de endoscopistas brasileiros que já se encontram habilitado a realizar esse procedimento. O treinamento foi realizado na Faculdade de Medicina do ABC, com pacientes voluntários do protocolo de estudo daquela instituição, onde está sendo avaliados os primeiros resultados nacionais do tratamento. O STRETTA é um tratamento endoscópico, dessa forma não tem cortes e é realizado por via natural (boca). Seu principal mecanismo de ação é a liberação de energia, através de um gerador de radiofrequência, no músculo que se encontra no esfíncter, responsável pela barreira antirreflexo. Esta energia por radiofrequência promove o fortalecimento dessa musculatura diminuindo os episódios de refluxo. Estudos internacionais têm demonstrado que o tratamento STRETTA promove uma diminuição na exposição do

10 de novembro de 2017

O Balão intragástrico é uma das opções disponíveis para o tratamento do sobrepeso e obesidade. Consiste em uma prótese de silicone preenchido com cerca de 400 a 700 mL de soro fisiológico e um corante. Ele é implantado no estômago por endoscopia, portanto sem cirurgia ou cortes. Os pacientes que podem implantar o balão intragástrico são aqueles com IMC (Índice de Massa Corpórea) maior ou igual a 27, que já tentaram dieta e medicação para emagrecer, sem sucesso. O procedimento é contraindicado em algumas situações específicas como, por exemplo, pacientes com cirurgias gástricas, úlceras ativas, extensas hérnias de hiato, etc. Ele age ocupando espaço no estômago (cerca de 1/3 do órgão) permitindo a saciedade precoce após a ingestão de pequenas quantidades de comida, ou seja, o paciente se sentirá “satisfeito” mesmo fazendo pequenas refeições. Os estudos mostram que a média de perda de peso é entre 10 a 20% do peso total, porém esse resultado vai depender da idade, metabolismo e principalmente da disciplina do paciente em seguir as orientações da equipe multidisciplinar que é composta por nutricionista, educador físico e se necessário um psicólogo. Esse acompanhamento é essencial porque apenas a implantação do balão não garante um bom resultado. Temos atualmente dois principais modelos de balão

Posted in sem categoria by Clinicafares | Tags: ,
20 de dezembro de 2016

O ser humano sempre teve curiosidade e interesse em conhecer o interior do seu corpo…O classico Filme “Viagem Fantástica”

retrata bem essa curiosidade, no qual um submarino é miniaturizado para realizar uma viagem pelo organismo. Com a medicina não

é diferente e na década de 60 iniciou-se o desenvolvimento dos primeiros protótipos de aparelhos para realização da endoscopia.

O exame de endoscopia digestiva alta tem a finalidade de avaliar a mucosa do Esôfago, Estômago e Duodeno (Porção inicial do Intestino Delgado)

com o intuito de se investigar a presença de Esofagites, Gastrites, Úlceras, Pólipos, Tumores, etc.

O exame é indolor, realizado através de um aparelho flexível que apresenta uma câmera em sua extremidade permitindo

a visualização da mucosa, em tempo real e sshutterstock_359031647endo possível a documentação fotográfica das alterações encontradas.

Ainda hj nos deparamos com pacientes aflitos e assutados antes da realização do exame, devido a comentários

de pessoas que realizaram o exame num passado mais distante. Atualmente o exame é indolor e realizado após uma

sedaç

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE