Arquivos mosquito - Clinica Fares

Dengue: veja seus riscos de infecção pela contaminação do vírus

16 de agosto de 2018

Acúmulo de água em quintais e ambientes abertos favorece a aproximação do mosquito pequeno e esperto, o Aedes aegypti, que transmite o vírus da dengue.  Apesar de que os casos da doença tenham diminuído significadamente, em 2017, como aponta o Ministério da Saúde, (84,8% em relação a 2016), este ano, o número de casos merecem atenção. Então é necessário se policiar para evitar ser contaminado ou provocar criadouros do inseto. Veja na lista abaixo alguma das ações que NÃO devem ser realizadas para evitar a proliferação da dengue: 1- Não deixe a caixa d’água aberta e a limpe a cada seis meses; 2- Não deixe água acumulada em vasinhos de plantas. Insira areia fina até a borda do pratinho; 3- Não deixe pneus e/ou garrafas espalhados. Deixe-os em um local aberto e com limpeza frequente ou entregue os responsáveis da limpeza urbana; 4- Não deixe de limpar calhas e telhas de casa; 5- Não acumule vasilhas, tampinhas e utensílios; 6- Não deixe o bebedouro de animais por muito tempo com a mesma água; 7- Não jogue lixo em terrenos baldios; 8- Não deixe sacos de lixo abertos, mantenha as tampas fechadas. A prevenção é forma mais efi

22 de novembro de 2017

A doença que é infecciosa febril de causa viral é transmitida por meio de mosquitos que tem dois ciclos de transmissão, o silvestre (FAS) e o urbano (FAU). Na mata (silvestre) os mosquitos gêneros Haemagogus e Sabethes são os que proliferam o vírus ao acometer os macacos (eles agem como hospedeiros do vírus) ou atacam seres humanos não vacinados que adentram seus habitat naturais, que normalmente, são áreas de matas. Na cidade (urbano) a doença é transmitida pelo mesmo mosquito que transmite a dengue, o Aedes Aegypti; vive em locais que apresentam água parada. Apesar disso, o vírus é o mesmo e desde 1942 não se tem registro de casos de febre amarela urbana no Brasil. Estudos apontam que as épocas que mais têm ocorrências da doença são entre dezembro e maio. Nestes meses de maior incidência de chuvas, há aumento de mosquitos que favorece a circulação do vírus. Apenas entre dezembro e agosto de 2017 , segundo o Ministério da Saúde, foram registrados 777 casos e 261 mortes recorrentes a febre amarela. Quais os sinais de febre amarela: O diagnóstico da doença pode ser realizado através da identificação de seus sintomas que podem ser confundidos até com uma gripe: Fase inicial • febre com calafrios • mal-estar • dor de cabeça • dores musculares fortes • cansaço • vôm

Posted in pediatria by Clinicafares | Tags: , , , ,
Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE