Arquivos saúde da mulher - Clinica Fares

Como evitar a candidíase

4 de dezembro de 2017

A candidíase é causada por um fungo chamado Cândida, provocando infecções vaginais que são bem comuns na gravidez. Os sintomas mais recorrentes são uma secreção vaginal densa, branca e grumosa; coceira, ardor ou vermelhidão na região da vagina e do ânus; dor nas relações sexuais e ardência ao urinar. Não use nenhum medicamento no local sem antes ter falado com o ginecologista/obstetra. Se a candidíase for identificada durante a gravidez, seu médico receitará algum tratamento adequado para seu estágio de gravidez, o que amenizará a coceira e a irritação na área. A infecção por cândida na mãe não prejudica o bebê, mas precisa ser tratada para evitar complicações. A infecção por cândida em recém-nascidos provoca feridinhas brancas na cavidade oral do bebê (o chamado sapinho), e o problema pode, por sua vez, ser transmitido para os seios da mãe. Para prevenir, costumo indicar o uso de calcinhas de algodão ao invés das de tecido sintético, evitando-se roupas íntimas apertadas, leggins e jeans skinny com frequência. Não faça prática de duchas vaginais e desodorantes íntimos. E claro, para qualquer circunstância, converse sempre com seu médico!

15 de setembro de 2017

O termo médico para a conhecida “bexiga caída, bexiga baixa, bola na vagina, útero arriado ou útero baixo” é distopia ou prolapso genital, que é a queda pelo canal vaginal de qualquer órgão pélvico, como bexiga, uretra, útero, intestino e/ou reto. Mas por que isso acontece? Isto ocorre após um enfraquecimento dos músculos e ligamentos que formam o assoalho (ou pavimento) pélvico. Esse assoalho é responsável por sustentar os órgãos dentro da pelve, porém, quando há uma fragilidade, os órgãos se insinuam (“caem”) pelo canal vaginal, aparecendo às famosas “bola na vagina”. Essa fragilidade pode acontecer dependendo da idade da paciente, do número de partos vaginais, tamanho e peso do recém-nascido, número de gravidez, história de obesidade, menopausa, cirurgias vaginais prévias e desordens do colágeno (que tem forte ligação com a genética da paciente) Atenção! É muito importante não confundir com a incontinência urinária (perda de urina), pois são duas doenças distintas, com tratamentos diferentes e que podem ou não estar associadas. Existem distopias sem perda de urina e perdas de urina sem distopias!

Qual é o tratamento

Posted in ginecologia by Clinicafares | Tags: , ,

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE