enxaqueca.jpg

4 de setembro de 2019 0

Enxaqueca não é uma simples dor de cabeça, é um problema sério de saúde que afeta mais de um milhão de brasileiros e pode paralisar os indivíduos para as suas atividades.

Ela pode durar de 4 a 72 horas, geralmente é latejante, unilateral, podendo mudar de lugar e pode vir acompanhada de náuseas, vômitos, intolerância a luz, ao som e ao cheiro.

Esforços físicos podem piorar a crise e não é incomum que o paciente procure ambientes isolados e com pouca luz.

Embora existam muitos tipos de enxaqueca, dois são os mais comuns: enxaqueca com aura e enxaqueca sem aura.

Na enxaqueca com aura, a fase de dor pode ser precedida por sintomas visuais como luzes tremulantes, manchas, moscas volantes, traçados em zigue-zague, flashes de luz ou perda de visão num ponto do campo visual. As auras podem ser sensitivas (formigamento ou adormecimento num segmento corporal) ou se manifestar por alterações da fala

Os principais fatores desencadeantes são:

1 – Problemas emocionais (ansiedade, depressão, irritabilidade, excitação, euforia etc)

2 – Excesso ou privação de sono,

3 – Bebidas alcoólicas (particularmente vinho tinto)

4 – Certos alimentos (chocolate, queijos maturados, produtos defumados)

5 – Presença de conservantes químicos em alimentos, como salsicha, salames e temperos

6 – Jejum prolongado

7 – Uso de certos medicamentos (anticoncepcionais)

8 – Modificações hormonais (menstruação, reposição hormonal)

9 – Exposição a odores fortes

10 – Penetrantes (perfumes, gasolina etc)

Os exames de imagem como a tomografia e ressonância magnética são utilizados para afastar causas secundárias, como tumores por exemplo.

Em relação ao tratamento, enxaqueca é como um incêndio, você tem que tratá-la o quanto antes, caso contrário ela pode piorar bastante.

Mas é preciso ter cuidado, pois o abuso de analgésicos pode desencadear um rebote, ou seja, pode fazer com que a dor de cabeça volte e piorar os sintomas.

Existem medicamentos que previnem a enxaqueca, diminuindo a frequência e a intensidade da dor. Contudo, se você tem mais que dois episódios de dor de cabeça por semana agende uma consulta com o neurologista para se cuidar!

Dra. Francine Gomes Barros Mendonça

Neurologista e membro do corpo clínico da Clínica Fares

CRM 173194