shutterstock_1942423450.jpg

2 de abril de 2021 0

Mês de Abril é dedicado a conscientização e mobilização da sociedade sobre do Transtorno do Espectro Autista (TEA), doença que atinge 1 em cada 160 crianças, segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).

O que é o autismo?

É um transtorno no desenvolvimento. Ele é caracterizado pelo atraso do desenvolvimento de habilidades sociais, cognitivas e comunicativas, geralmente, a criança é diagnosticada entre os 2 e 3 anos de idade.

Contudo, os pacientes com autismo, tendem a se destacar em habilidades artísticas, visuais, música e matemática.

A criança com autismo, pode ter também deficiência intelectual, dificuldade de coordenação motora e de atenção. Às vezes, pode ter problemas de saúde, como hiperatividade e transtorno de déficit de atenção, dislexia ou dispraxia.

O autismo faz a criança ter algumas características específicas, como dificuldade para expressar sentimentos e ideias, pouco contato visual, mal-estar em meio a muitas pessoas e repetição de movimentos e padrões, como ficar sentado balançando o corpo para frente para trás.

Alguns dos principais sinais das áreas afetadas

Interação social – dificuldade em manter contato visual, dificuldade em fazer amigos e expressar emoções.

Comunicação – dificuldade em iniciar ou manter uma conversa.

Alterações de comportamento – padrões repetitivos de comportamento e não saber brincar de faz de conta, por exemplo.

Pode-se confirmar o autismo quando a criança demostra características das 3 áreas afetadas. Mas de qualquer forma é necessário o diagnóstico médico para ter certeza e iniciar o tratamento adequado.

Quais são as causas do autismo?

Qualquer uma criança pode desenvolver o autismo, mas suas causas ainda são desconhecidas.

Há estudos que dizem ser por fatores genéticos e hereditários, fatores ambientais, como complicações durante a gravidez e anormalidade cromossômica.

Sobre o tratamento do autismo

O tratamento varia de acordo com o tipo de autismo e do seu grau, mas pode ser realizado com uso dos medicamentos prescritos pelo médico, sessões de fonoaudiologia e terapia.

Quando o tratamento é realizado de forma correta é possível que a vida do autista se torne mais facilitada. Agende agora uma consulta com pediatra clicando aqui.

Da redação