shutterstock_1324514507.jpg

12 de abril de 2019 0

Você sabe o que é a “doença do beijo”?

Beijo de mãe no filho, beijo entre namorados, beijo de saudade e de amigo. O beijo há muito tempo é uma forma de afeto e carinho entre as pessoas. Mas apesar de ser muito bom, é preciso ficar atento a uma das doenças que ele pode causar: a mononucleose.

Mais conhecida como “doença do beijo”, a mononucleose é uma infecção viral que pode causar dores na garganta e até febre.

Esta doença, que é fruto da contaminação causada pelo vírus chamado Epstein-Barr (EBV) – da família Herpes – é transmitido por meio da saliva de forma direta pelo beijo, por tosse e por espirros.

Qualquer pessoa pode ter doença do beijo?

Sim, o vírus é transmitido de pessoa para pessoa através de saliva, seja passado por meio de beijos, tosse, espirro, além do compartilhamento de talheres, copos ou contato íntimo, além de transfusão de sangue, em casos mais raros.

Por isso, uma forma de se prevenir é não dividir copos e talheres ou beijar pessoas que possam estar infectadas, sempre que possível lavar as mãos quando estiver em algum local (também pode usar o álcool gel para desinfecção das mãos), evitar colocar as mãos na boca ou comer antes de lavar, evitar tossir ou espirrar nas pessoas.

Quais são os sintomas da “doença do beijo”?

Alguns sinais e sintomas podem ser percebidos e levantar a suspeita da “doença do beijo”, mas que pode variar conforme o tipo de vírus envolvido e a capacidade imunológica de cada pessoa:

  • Dor de garganta ha muitos dias
  • Febre acima de 38ºC também ha muitos dias
  • Dor de cabeça
  • Sensação de mal-estar, fadiga
  • Náuseas
  • Dores musculares
  • Placas esbranquiçadas na garganta
  • Surgimento e/ou aumento de ínguas (linfonodos) no pescoço
  • Aumento de fígado e/ou do baço.

A “doença do beijo” tem cura?

Por ser uma doença sintomática, é necessário tentar aliviar os sintomas, além de manter repouso, evitar exercícios físicos durante a fase aguda, no período em que a infecção estiver presente. Além disso, a doença do beijo pode atingir crianças e, na maioria das vezes, os adolescentes e adultos.

Essa doença não tem cura, mas o vírus pode permanecer no organismo para sempre sem causar doença, contudo, é sempre aconselhável consultar um médico clínico geral ou um médico pediatra (no caso de crianças) para diagnosticar a doença.

Sua saúde é muito importante, por isso é necessário você consultar um médico regularmente para evitar ou, se for preciso, tratar alguma doença.

Na Clínica Fares você pode agendar uma consulta com médico clínico geral de maneira fácil e rápida. Acesse e faça um pré-agendamento.

Dr. Alfredo Rangel Ayres Prestes

Pediatra, médico do trabalho e membro do corpo clínico da Clínica Fares

CRM 63058