shutterstock_1041691147-1200x800.jpg

13 de janeiro de 2020 0

Sendo uma das doenças mais antigas do mundo a hanseníase é crônica, infectocontagiosa e se manifesta, principalmente, por sintomas neurológicos (falta e força nas mãos e pés + dormência) e lesões na pele.

Através de tratamento e exames específicos, a hanseníase tem cura, porém se diagnosticada tardiamente, pode acusar deformidades e incapacidades físicas.

Sinais da hanseníase

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia os sintomas mais evidentes da hanseníase são:

  • Manchas claras, róseas ou avermelhadas no corpo, geralmente com diminuição ou ausência de sensibilidade ao calor, frio ou ao tato, principalmente nas extremidades das mãos e dos pés, orelhas, tronco, face, nádegas e nas pernas;
  • Inchaço nas mãos e pés;
  • Área de pele seca e com falta de suor, com queda de pelos, muitas vezes, nas sobrancelhas;
  • Caroços na pele, em alguns casos avermelhados e dolorosos;
  • Úlceras de pernas e pés
  • Dormências
  • Diminuição de força e inchaços nas mãos e nos pés
  • Formigamentos ou sensação de choque nos braços e nas pernas
  • Entupimento nasal
  • Problemas nos olhos

Como ela é transmitida?

Apesar de ser manifestada na pele, a transmissão da hanseníase acontece através de pequenas gostas de secreção que saem na respiração do paciente que não está em tratamento; ou seja, a pessoa infecta expele bactérias através do sistema respiratório ao falar, tossir ou espirrar.

As pessoas que correm mais riscos de serem contagiadas são sempre as que são próximas do paciente/familiares.

A hanseníase tem cura?

A hanseníase é curável – os medicamentos matam a bactéria – no entanto, é incapacitante. Os medicamentos não revertem os danos neurais. “O problema crucial é que não atinge somente a pele. Ela é principalmente uma doença dos nervos periféricos. Isso faz com que o paciente se lesione nos afazeres dia-a-dia, o que potencializa infecções na pele. É possível perder fragmentos das pontas dos pés e das mãos. Isso não é folclore. Se o paciente não se tratar ou tiver diagnostico tardio, pode ocorrer”, diz a dermatologista.

Tem cura sim, é possível matar a bactéria, porém não é possível reverter os danos neurais; portanto, quanto mais tarde iniciado o tratamento, menos chances de reverter problemas neurológicos.

Como é o diagnóstico?

O diagnóstico é realizado com o atendimento do dermatologista, é ele quem avalia o paciente e faz testes de sensibilidade, além de monitorar e avaliar as funções dos nervos periféricos.

Se caso houver alguma lesão suspeita no paciente, é o médico quem irá solicitar exames laboratoriais e/ou uma biópsia.

Prevenindo e tratamento

Para se prevenir da hanseníase é necessário tomar a vacina BCG e por meio do exame geral e dermatológico.

O diagnóstico precoce da hanseníase é essencial para que haja a cura. Quanto antes identificada, mais chances o paciente tem de se recuperar. Então sempre que notar algum dos sintomas é importantíssimo procurar o médico especialista para ajudar a se cuidar.