shutterstock_1758656771-1-1.jpg

24 de junho de 2020 0

Junho é o mês dedicado ao combate a uma doença oftalmológica que, muitas vezes, aparece na infância, adolescência ou na juventude, o ceratocone.

O ceratocone é uma doença degenerativa que causa a deformação da córnea (membrana transparente que protege o olho), provocando um afinamento em forma de um pequeno cone.

Como o ceratocone surge?

Antes de entender sobre o ceratocone é necessário saber o que é a córnea. A córnea é a nossa “lente natural”.

Ela é a responsável pela refração, ou seja, a mudança de luz quando entra no olho. Desta forma, a luz, passa por outras estruturas oculares até chegar na retina.

O ceratocone é a circunstância onde a córnea ganha uma forma pontuda, parecendo um pequeno cone, distorcendo a entrada da luz e provocando uma confusão das imagens recebidas.

Muitas vezes, é provocado por genética, ou também por estímulos externos, como muita coceira nos olhos.

Sintomas do ceratocone

Veja alguns dos seus principais sintomas:

  • Visão dupla
  • Dor de cabeça
  • Coceira no olho
  • Muita sensibilidade a luz
  • Visão embaçada

Fatores de risco do ceratocone?

Se já houver alguém na família com ceratocone, é importante sempre fazer exames preventivos. Além disso, os fatores que pode trazer riscos da doença, são:

  • Coçar os olhos com força e com muita frequência
  • Ter histórico familiar de ceratocone
  • Asma e rinite

Como tratar o ceratocone?

O tratamento para ceratocone é realizado por um oftalmologista, geralmente é iniciado com uso de óculos e lentes rígidas para correção do grau de visão.

Em alguns casos, é necessário realizar uma cirurgia ocular, quando há muita evolução da doença e os óculos já não são os suficiente.

Lembramos que, se você tem exames ou consultas que não podem ser deixados para depois, faça. Não deixe sua saúde de lado. E tome todos os cuidados necessários ao sair, combinado? Clique aqui para agendar.

Da redação