shutterstock_1379732321-1200x800.jpg

9 de novembro de 2020 0

É muito importante cuidar da saúde do coração, dos olhos, da pele, da vida ginecológica e urológica, mas não dão atenção a audição.

Você já reparou quantas exposições de ruído está exposto todos os dias? São barulhos de ônibus, carros, motos, metrô, máquinas de trabalho na rua, pessoas falando ao seu redor e por mais que pareça “normal” toda esses sons e muitas vezes bastante altos, as estruturas do ouvido podem não estarem livres de problemas.

Acontece que muita exposição a ruídos pode causar danos nas células do ouvido e levar a perda auditiva, a famosa surdez.

 

Mas por que a pessoa fica surda?

O principal sintoma da surdez é a incapacidade de ouvir, e há algumas causas para isso que não são apenas ligadas a exposição à ruídos. Ela também pode ter relação, por exemplo, com questões genéticas, bloqueios físicos e pelo envelhecimento.

 

Há dois tipos de perda auditiva: condutiva e neurossensorial

A condutiva tem a ver com um bloqueio na transmissão do som; podendo acontecer, como quando a cera entope o conduto auditivo fazendo com que o tímpano não consiga vibrar. Ou quando há algum ferimento no tímpano que pode ocorrer quando há uma interrupção na transmissão das ondas sonoras para o cérebro.

Já a perda auditiva neurossensorial, acontece quando tem uma falha no nervo auditivo. Isso quer dizer que, mesmo que as vibrações sonoras atinjam o ouvido interno, elas não chegam ao cérebro; isso pode ter razões como, envelhecimento das células, efeitos colaterais de remédios, infecções virais, barulhos altos demais.

 

Prevenindo…

Para diagnosticar e poder tratar problemas de audição, uma das formas de diagnóstico é através do “teste da orelhinha” no recém-nascido.

E depois disso, é recomendado que todas as pessoas façam anualmente uma avaliação audiológica para verificar se há alguma perda auditiva nos ouvidos.

 

Cuidados para proteger a audição

  • Evite a exposição a sons altos por mais de 8h diárias
  • Os ruídos acima de 85 dB são considerados uma ameaça
  • Frutas ricas em potássio, como abacate e banana, pois suportam a transmissão de impulsos nervosos e pode influenciar na transmissão do som
  • Evite se automedicar
  • Jamais introduzir o cotonete dentro do ouvido
  • Evite muita exposição a sons e ruídos em fortes intensidades
  • Use protetores auditivos quando recomendados, como em locais de trabalha com máquinas
  • Evite volume alto de fones de ouvido, TVs e rádios

Na dúvida ou qualquer sinal de falta de audição, você pode falar com seu médico da Clínica Fares. Agende agora sua consulta!

Dra. Vivian Pardini Landulgo
Fonoaudióloga e membro do corpo clínico da Clínica Fares.
CRFa 13.186