paciente-feliz-320x240.jpg

22 de abril de 2020 0

Procurar o médico mesmo sem estar doente é uma forma de evitar problemas e de garantir um presente e futuro saudáveis.

Além disso, o médico é o melhor profissional para diagnosticar doenças e a partir de sintomas, orientar sobre vacinas, tratamentos e direcionar check-ups essenciais.

Veja alguns dos por quês importantes para ir ao médico:

Exames rotineiros

Existem algumas doenças silenciosas, que só se tornam aparentes quando estão em um estágio mais grave, portanto, exames laboratoriais (sangue, urina, colesterol, glicemia hormônio da tireóide etc) e exames de imagem devem ser realizados com regularidade e sob orientação médica.

Cuidado com analgésicos

Os analgésicos aliviam dores, mas não devem ser usados sem orientação médica, pois podem prejudicar alguns órgãos.

Sendo assim, quem toma analgésico com freqüência para dores de cabeça, coluna lombar dentre outras, devem primeiramente procurar um médico para identificação da dor e indicação do melhor tratamento.

Histórico familiar

Algumas doenças podem ser hereditárias, isto é, de família, devido a algum parente próximo ter a doença (mãe, irmão etc).

Em história familiar de diabetes, colesterol, pressão alta ou até mesmo câncer, é necessário a visita periódica ao médico para acompanhamento precoce, diagnóstico ou evitar chances de ter a doença.

Vacinação atualizada

Tomar vacina é uma forma de se proteger de doenças e evitar que elas se proliferem.

Por isso, é importante ficar atento ao Calendário Nacional da Saúde e visitar o médico com freqüência. Ele pode orientar sobre as fases da vida e o momento certo de tomar vacina.

Veja os sinais

Alguns sinais no dia a dia indicam a necessidade e ir ao médico. Como, por exemplo, dificuldade para ler legendas de filme, menstruação desregulada, muita tosse, dificuldade para ouvir, sensação de cansaço, dores nas costas entre outros.

A prevenção é o melhor caminho para evitar qualquer doença e levar uma vida mais saudável para viver com os amigos e familiares.

Por isso, recomenda-se atendimento médico ao menos duas vezes por ano, mesmo sem apresentar sintomas. Previna-se!

Da redação