Fala do recém-nascido até o 3º mês de vida
desenvolvimento-da-fala-infantil-768x575-2.jpg

21 de março de 2018 0

Depois de toda a gestação e parto, chegou o momento de curtir o bebê. Além de todos os medos e inseguranças normais dessa fase, os pais pensam: será que meu bebê, tão pequenino, já é capaz de estabelecer alguma forma de comunicação comigo?

A resposta é sim. Desde o nascimento, o bebê se comunica, principalmente com os pais, que são as pessoas mais próximas.

De acordo com estudos, do nascimento até o primeiro mês de vida, os recém-nascidos são capazes de se comunicarem através do choro, mas nessa fase ainda o choro é igual para tudo, sendo ainda uma resposta biológica a dor e a fome.

O bebê é capaz de reagir a sons fortes se assustando, à luz e a voz de seus pais, se acalmando quando escuta a voz da mãe.

Nessa fase o bebê já produz vocalizações, mas ainda sem intenção comunicativa e de uma maneira esporádica.

O bebê também tem a habilidade de imitar expressões faciais de seus pais e de fazer contato visual quando o rosto dos pais está dentro de seu campo de visão, entre 20/30 cm.

Portanto, durante a amamentação (seja ela natural – em seio materno – ou artificial – na mamadeira) o recém-nascido já é capaz de manter contato visual com a mãe, olhando nos olhos dela.

Já por volta dos 2/3 meses, o bebê passa a modificar seu choro, diferenciando-o quando está com fome e quando sente dor, melhorando assim a forma de se expressar com seus pais.

A sua vocalização muda de característica, o bebê começa a mudar a intensidade e duração dos sons que produz.

Esses sons produzidos ainda são apenas vogais. O seu filho já reage a sua fala, sorri com intenção, olha para seu rosto quando você fala com ele e vocaliza. Apresenta atenção aos sons que escuta e reconhece seu próprio nome.

Gostou desse texto? Quer saber mais? Então continue nos seguindo, além disso, você também pode acompanhar a dica anterior clicando no link – Desenvolvimento da linguagem infantil.

Vivian Pardini Landulfo
Fonoaudióloga e Membro do Corpo Clínico da Clínica Fares
CRFA 13.186