O que é halitose ou mau-hálito
halitose-ou-mau-hálito-1024x1024.jpg

16 de janeiro de 2018 0

O que é halitose ou mau hálito?

A halitose ou mau hálito é uma situação anormal do hálito que muda para um odor desagradável.

Todavia, não é uma doença, mas é um sinal de que há alteração fisiológica, indicando que alguma coisa no organismo está desequilibrado.

Segundo a Associação Brasileira de Halitose (ABHA), pesquisas apontam que, pelo menos, 30% dos brasileiros (50 milhões de pessoas) têm esse problema.

A ida ao médico, gastroenterologista, é importante para identificação do problema e orientação para o melhor tratamento.

Quais são suas causas?

Ainda, segundo a ABHA, há, em média, 60 causas diferentes para o problema.

Estudos têm demonstrado que a halitose está relacionada a diminuição de produção de saliva. Assim situações, como longo tempo em jejum e após períodos de sono (dormir), onde ocorre diminuição da produção de saliva e aumento de mau-hálito.

Apesar de 90% das suas causas se darem no ambiente bucal, a halitose é de cunho multifatorial e pode ter causas sistêmicas.

Contudo, as causas podem envolver: estresse, problemas renais ou hepáticos, diabetes etc. Além de fatores da própria natureza humana, como alimentação errada, jejum longo, problemas em vias aéreas, placas bacterianas na língua, doença na gengiva, hálito da manhã, dietas erradas, má higiene da boca, fumar, beber bebidas alcoólicas, usar drogas ilícitas entre outros.

Efeitos da halitose

Há alguns problemas sócio-emocionais mais comuns que envolvem a halitose. Como, por exemplo, insegurança para se comunicar, não gostar de sorrir, depressão, ansiedade, dificuldade para ter relações amorosas, baixo rendimento na escola ou no trabalho, além de menor autoestima e confiança.

Também pode afetar o físico da pessoa. Havendo alterações ou falhas em alguns órgãos ou sistemas.

Veja 10 dicas para evitar halitose

1- Se alimentar a cada 3 horas;

2-Evitar comer muitos alimentos que contenham enxofre ou com cheiro forte, por exemplo, alho, cebola, picles e repolho;

3-Evitar excesso de café, gorduras e frituras. Além de alimentos ricos em proteínas, como leite e carne vermelha;

4-Não fumar e beber bebida alcoólica com exagero;

5-Realizar check-up da saúde todo ano;

6-Fazer corretamente a higiene bucal;

7-Beber em média dois litros de água por dia;

8-Praticar exercícios físicos;

9-Visitar o dentista a cada seis meses;

10-Ter uma alimentação saudável.

Dr. Luiz Carlos Silveira

Especialista em Cirurgia Geral, Gastroenterologia, Proctologia  e Membro do Corpo Clínico da Clínica Fares

CRM 45775