Janeiro verde: alerta para o câncer de colo de útero
cancer-colo.jpg

9 de janeiro de 2019 0

O primeiro mês do ano é marcado pela luta contra o 3º tumor maligno mais freqüente na população feminina: o câncer de colo de útero.

Este tipo de câncer, segundo a Sociedade Brasileira de Cancerologia – SBC, é causado por uma infecção persistente por alguns tipos de Papalomavírus humano- HPV oncogênicos.

Ao perceber algum dos sintomas do câncer de colo de útero, após visita ao médico e ele avaliar o caso, ver o histórico clínico e familiar, irá solicitar os exames específicos.

Quais são os exames para detectar o câncer de colo de útero?

Para detectar a sua presença e evitar alterações futuras é necessário realizar exames preventivos; um dos principais é o – Papanicolau e se e se houver alguma alteração o médico solicita outros exames, como a Colposcopia.

O Papanicolau é o exame que serve para coletar células do colo do útero e analisar se há presença de câncer e pré-câncer, tendo cura na maioria das vezes. Caso seja identificada alguma anormalidade, a Colposcopia analisa com mais profundidade o canal ginecológico.

Mas o que aumenta o risco do câncer de colo de útero?

O câncer de colo de útero, também conhecido com cervical, surge quando há infecção local pelo vírus do HPV, o Papilomavírus Humano, que se dá, geralmente através de DSTs – doenças sexualmente transmissíveis.

Além disso, tabagismo, início de vida sexual precoce, relação sexual desprotegida com muitos parceiros, vários partos, presença de outras DSTs, histórico familiar, são fatores de risco.

Leva-se entre 10 e 20 anos para que a doença se desenvolva, por isso a importância dos exames preventivos, assim evita que ela evolua.

O diagnóstico e tratamento do câncer de colo de útero

Caso seja identificado o câncer de colo de útero, o médico junto do paciente irá avaliar a melhor forma de tratamento, pois pode variar de acordo com idade, tamanho do tumor, histórico, enfim do estado de saúde do paciente.

Lembre-se sempre que a prevenção é o melhor caminho. Realizar visitas periódicas ao ginecologista, cuidar da alimentação e realização de atividade física ajudam a levar uma vida mais saudável e livre de doenças, como o câncer de colo de útero.

Dr. Jorge Fleury

Ginecologista e Membro do Corpo Clínico da Clínica Fares

CRM 167286