Paralisa facial é mais comum do que se imagina
paralisia-facial-1024x1024.jpg

12 de dezembro de 2017 0

Imagine acordar pela manhã e perceber que metade de seu rosto esta paralisado. Sim, isto pode acontecer, se chama paralisia facial e é mais comum do que a maioria das pessoas imagina.

A paralisa facial é uma reação á inflamação do nervo facial e em 75% dos casos, as causas são desconhecidas. Apesar das causas não serem claras, a ocorrência é maior em pacientes diabéticos e em mulheres grávidas.

Também chamada de paralisia de Bell, a paralisia facial não tem correlação com o AVC, pois não acomete o encéfalo.

Evidências crescentes sugerem que uma reativação do vírus herpes simples tipo 1 ou de uma infecção do vírus varicela zoster no gânglio geniculado pode lesionar o nervo facial, sendo responsável pela paralisia facial, pelo menos em alguns casos. Outras causas, porém menos frequentes de paralisia facial incluem: doença de Lyme, Aids, sarcoidose, meningites e tumores.

A incidência é de 20 a 30 casos em cada 100.000 pessoas, o que não é tão raro. Com uma inspeção bem feita e a realização de um exame neurológico, já é possível fazer o diagnóstico.

A fraqueza facial frequentemente é precedida ou acompanhada por dor na região da orelha. Esta fraqueza costuma se instalar de modo abrupto, podendo progredir em horas ou mesmo em um dia. Pode haver a paralisia completa, que é a paralisia de todos os músculos supridos pelo nervo facial, ou a paralisia incompleta, cujo apenas alguns músculos supridos pelo nervo são afetados.

O tratamento é relativamente simples e envolve realização de fisioterapia facial, mas deve ser feito o mais rápido possível para evitar possíveis sequelas. A maioria dos pacientes se recupera completamente, porém geralmente ao longo de alguns meses.

Quando houver dúvidas o ideal é procurar por um médico neurologista, quem melhor poderá lhe ajudar!

Hanna Nery Ferraz Martins

Neurologista e Membro do Corpo Clínico da Clínica Fares

CRM SP 185.547