Guia da alimentação na gestação
Alimentacao-na-gravidez-768x448-1.png

25 de abril de 2018 0

O acompanhamento nutricional personalizado é indispensável para uma gestação tranquila desde o primeiro mês até o pós parto, pois é essencial um planejamento alimentar que atenda as demandas da gestante que varia a cada trimestre.

Abaixo, separei uma sequência de recomendações para que toda mamãe se cuide durante seu período de gravidez.

Proteínas

Devido ao processo de construção de novas células do bebê e no próprio corpo da gestante para abrigá-lo há um aumento das necessidades diárias de proteínas, pois são nutrientes construtores e importantes para  inúmeros processos no corpo.

Temos como fonte proteínas as de origem animal (carnes, aves, peixes, ovos, leite, queijo, iogurte) e as de origem vegetal (cereais integrais, feijão, lentilha, ervilha, grão de bico).

Vale lembrar que as proteínas de origem animal são consideradas proteínas completas (contém todos os aminoácidos essenciais); enquanto que as de origem vegetal por não contê-los, devem ser associadas com  cereais (por exemplo feijão com arroz, ervilha com milho,etc.) para obtermos um conjunto de aminoácidos essências (proteínas completas).

Ferro

O ferro é parte da hemoglobina, que é um constituinte importante das células sanguíneas, sendo responsável pelo transporte do oxigênio para todas as células do organismo da mãe e do feto.

A anemia ocorre, muitas vezes, na gravidez, proporcionando sintomas, como indisposição, fraqueza e tonturas.

Boas fontes de ferro são: vísceras,carnes vermelhas, aves, peixes, feijões e hortaliças folhosas (ex.: couve,  espinafre, brócolis), recomenda-se consumir frutas cítricas depois de consumir estes alimentos.

Água

Deve-se ingerir pelo menos seis a oito copos de água (em torno de dois litros ao dia).

A água ajuda a manter o bom funcionamento do intestino, reduz risco de infecções urinárias e posteriormente ao nascimento da criança, conforme maior for a ingestão de líquidos, maior será a produção materna de leite.

Dê preferência à água, aos sucos naturais e à água de coco, pois esses últimos além de hidratarem fornecem vitaminas e minerais.

Ácido Fólico

Vitamina importante para redução do risco de malformações do sistema nervoso central e do feto e outros efeitos congênitos. É encontrada em vegetais folhosos verdes, cenoura, gema de ovo, trigo integral e farinhas integrais.

Cálcio

Durante a gestação a ingestão de cálcio nas recomendações adequadas é essencial para a formação do feto e da manutenção do bom funcionamento do organismo materno.

Quando o consumo pela mãe do mineral é insuficiente, o feto passa a resgatar as reservas de cálcio da mãe (dos ossos e demais depósitos), podendo ocasionar queda de cabelo, unhas fracas e a longo prazo poderá desencadear o enfraquecimento dos dentes e dos ossos (osteoporose).

São boas fontes de cálcio o leite, queijo, iogurte, alimentos fortificados com cálcio, salmão, sardinha enlatada, sorvete de leite, espinafre, almeirão, couve, tofu.

Vitamina D

Como a vitamina D auxilia na absorção de cálcio, tal como se apresenta uma demanda maior de cálcio na gestação, recomenda-se conjuntamente o aumento de vitamina D.Sua falta pode provocar atraso no crescimento e deformações ósseas.  Encontramos vitamina D em fígado, peixes, ovos, manteiga.

Outras recomendações gerais

  •  Caso tenha náuseas e enjôos (comuns no primeiro trimestre gestacional) procure tentar se alimentar de 5  a 6 refeições pequenas durante o dia, evitando grandes volumes de alimentos ou líquidos. Evite deitar-se ou sentar-se muito inclinada logo depois de comer para não ter refluxos. Mastigue bem devagar os alimentos, em pressa, em locais e horários mais tranquilos para uma boa digestão. Uma boa dica para a azia matinal é consumir 2-3 bolachas de água antes de levantar-se da cama e aguardar o café da manhã para depois de se sentir melhor;
  • Evitar excesso de sal e alimentos salgados para não ter um aumento de pressão arterial e retenção hídrica  (especialmente se a mãe já era hipertensa antes da gravidez);
  • Procure se abster de álcool, cigarro ou drogas, pois são substâncias danosas ao organismo da mãe e do  feto, o sangue recebe todos os nutrientes e atravessa a placenta, atingindo o sistema circulatório do feto.
  • Tente consumir diariamente frutas, verduras, legumes e cereais integrais para garantir um bom aporte de  fibras que manter um trânsito intestinal adequado.

Dra. Aida Sahid Sayah

Especialista em nutrição e  Membro do Corpo Clínico da Clínica Fares

CRN 38672