Metas para o próximo ano, como realizá-las?
2018-1024x1024.jpg

29 de dezembro de 2017 0

Adeus ano velho, feliz ano novo! Ano novo, vida nova! Quem nunca terminou ou começou o ano com essas metas?

Todo ano é a mesma história. Muitas vezes, nós, dizemos essas frases, criamos expectativas com o ano vindouro para se organizar, virar a página e começar algo novo cheio de esperança.

Junto disso, vêm às anotações em papéis ou blocos de notas com as metas para o decorrer do ano, escritas em listas.

Em termos psicológicos não há mal algum em fazer isso. Até porque, organizar nosso interior, nos faz realmente escrever uma página, nos dando motivação e fé.

O único problema é quando abandonamos as metas que fazemos. Com isso, tenho algumas dicas psicológicas para que você continue com suas metas e não as abandone.

A primeira dica é: não desista!

Troque o verbo desistir pelo persistir: Não desista, persista! Tenha um objetivo. Quando temos objetivo exercitamos nossa motivação para ir à busca, pois apenas temos motivação se tivermos objetivo para alcançar.

Seja realista, sempre!

Muitas pessoas criam metas irreais, como, por exemplo, “eu vou emagrecer 20 quilos”. Tudo bem, é uma meta, um objetivo, querer emagrecer.

Mas dentro dessa meta, existe a possibilidade de se fazer uma dieta? De se fazer atividade física? Vai ter tempo para isso? A realidade que vive condiz com o alcance dessa meta? Irá conseguir manter uma alimentação saudável? Mudar o cardápio?

Devem-se criar metas realistas, aquelas que têm a possibilidade de serem atingidas.

Outro exemplo é prometer que vai cumprir uma maratona de 10 quilômetros. Certo, mas, você já vem treinando? Correndo? Se dedicando? Quanto disso é real? 

Para que haja o alcance, deve existir um planejamento dentro dessa realidade: o que é preciso fazer para que aquilo que quero não fique somente no desejo ou no imaginário.

A meta tem que fazer sentido!

Deve existir um desejo que sirva de base que o leve a querer realizar a meta. Assim, ela tem que fazer sentido.

Um exemplo para isso é dizer que este ano você vai fazer um curso de culinária. Mas, você odeia cozinhar e é por isso que vai fazer o curso, para aprender a gostar.

Qual é a chance de você atingir sua meta? Esta atitude não faz sentido. As suas ideias precisam ir de encontro aos seus desejos.

Mudar de fato é mudar!

O calendário realmente muda; de 2017 para 2018, de 2018 para 2019 e assim por diante, mas e se você não muda.

É por querer mudança em curto prazo que também acontecem às desistências.

Há situações que realmente tem que haver mudança. Mudar mesmo, algumas pessoas não mudam, mas começam a se transformar para que haja mudança.

Então, se quer perder 20 quilos, tem que ter em mente que vai mudar a rotina e o estilo de vida.

Mudar todas as condições. Não apenas mudar o ano, mas introjetar a mudança. E não apenas esperar que o externo faça essa mudança.

Seja persistente, coloque metas que tenham a ver com aquilo que você busca, com seus objetivos. Mude de fato, planeje e não tenha apenas a esperança de um ano melhor, porque a esperança faz esperar, mas tenha fé de que sei vai conseguir aquilo que não se vê, mas acredita.

Um Feliz Natal, um lindo Ano Novo, que todos estabeleçam metas realistas, planejadas e com muito sentido. Que mudem realmente. Persista e não desista!

Eliana Gonçalves Tolardo
Especialista em
Psicologia e Membro do Corpo Clínico da Clínica Fares
CRP-SP: 62927